Domingo, 25 de Outubro de 2009

"São lágrimas, senhor, são lágrimas"

 

 

 

Canto IV

 

 

 

 

 

 

 

 

Não pode evitar

as águas

soltas

das frágeis e pequenas mãos

nascentes

de mil dores

guardadas

que correm suavemente

ao encontro da terra

e nela se infiltram

espalham

distendem

sob o olhar triste

da pequena senhora

que nada pode fazer

para impedir o caudilho

das águas inesgotáveis.

 

 

Duas lágrimas

de prata

e outras duas

mais as que se seguirão

desprendem-se

do singelo rosto

da alma que chora

nos jardins

do castelo assombrado

guardado

pelas torres

lá do alto

olhos vigiam.

sob o olhar atento do Sol

que lhes abrilhanta ainda mais

a cor da dor

as águas mil

segredos

de mil medos

do amor eterno

inundam

o jardim tenebroso

ameaçando afogar

com seus inesgotáveis

caudais

o Amor

que em si encerram.

 

 

 

Eu disse-vos

avisei meu amado

senhor

que eram lágrimas

apenas lágrimas

nada mais

lágrimas existênciais.

 

 

 

 

 

Perdoai

amada minha

alma da minha alma

minha desconfiança

meu descuido

minha desatenção

perante Vós

sim

eram lágrimas

lágrimas de cristais

perdoai

vosso

amado senhor

e fechai a fonte

de onde brotam

as águas imparáveis

eu ajudo-vos a consegui-lo.

 


 

 

É tarde meu senhor

as águas mil

deambularão

por

todos os recantos

do jardim

ensombrando

novamente nossas

almas

até à eternidade

porque

meu senhor

não confiastes

naquela que vos ama

desde a eternidade

fechastes vossos palácios

subistes à torre mais alta

e tornastes impenetráveis à alma

humana

o maior dos sentidos

de sua existência.

 

 

 

 

 

Mas

senhor meu

desconheceis vós

que sois eu

a inexistência

da minha alma

humana

só a desconheceis

porque não olhastes

quando o loureiro

queimava

lá no cimo da torre

atirando suas fragrâncias

ao encontro

do deus

encoberto

que em silêncio

de costas

para o mundo

via as cores

do seu mundo.

 

 

 

 

 

Se tivésseis olhado meu senhor

erguido vossos olhos e vosso corpo

Se não estivesses perdido

nas coisas do mundo

teríeis visto

aquilo com que sempre sonhastes

porque

estava ali

naquele momento

envolvendo

a doce criatura

semi humana

mas

vós não vistes

porque não acreditastes

no impossível.

 

 

 

 

 

Agora é tarde meu senhor

muito tarde

com vossos gestos

medos

desconfiança

vossa descrença

e

indiferença

deixastes morrer o mundo

e matastes o sagrado

elemento

para sempre.

 

 

 

 

 

 

Sois culpado

condenastes

aquilo que mais amastes

e

encerraste a nobre alma

em cada gota de prata

que vedes deslizar

serpenteando

por vossos jardins

nunca desejados

amados

 

 

 

nunca

queridos.

 


 

 

alma, amigos, amor, canto, conto, deus, divagação filosófica, essência, estado, estrelas, eternidade, eu, existência, filosofia, futuro, letras, literatura, livro, lágrimas, mundo, natureza, passado, pensamentos, poema, poemas, poesia, tempo, univers

publicado por lazulli às 19:09

Domingo, 29 de Junho de 2008
(8) comentários

EscritoPorLazulli lazulli às 21:23
link do post | comentar | AdicionarAosIntemporais

UmaEstranhaNumaTerraEstranha


lazulli

sempretriste

. 6 seguidores

VerNaCasaDeCristal

 

Intemporais

... cega ...

Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


SonsDaMinhaAlma

SonsDaMinhaAlma

Setembro 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Abril 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Junho 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Janeiro 2012

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

EscritosRecentes

cristal

Quando a Natureza fala ma...

,,, bicéfala,,, a Serpent...

em luta pela liberdade

São lágrimas, senhor, são...

alma

A Promessa

... desisti

manto negro

... vivo em Tiamat?!

... do livro de Dzyan...

Ming's

O Universo em mim

Tentação

Quem Criou Deus...

LeioEstes

AsMinhasFotos/Imagens

DireitosDeAutor

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. OsEscritosDesteBlogEstãoRegistadosNoIGAC Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. DireitosDeAutor É expressamente interdita a reprodução parcial ou integral de todos os escritos deste blog por qualquer processo, incluindo a fotocópia e a tradução e transmissão em formato digital. Exceptua-se a reprodução de pequenos excertos para efeitos de recensão crítica ou devidamente autorizada por escrito pela AUTORA do Blog CasaDeCristal, lazulli. Peço desculpa aos que me lêem por ter que ser assim e obrigada. lazulli - (inp) M.D.L.M.D.F.D.C.B.

NoPlaneta

Flag Counter 34 561

ÚltimasMemórias

Bem Vindo à CasaDeCristal, paulo joséConsegues exp...
paulo jose juliopra ke brincar com santo nome de d...
Vasconcelos.... como esqueceria eu, o seu blog, on...
Saúdo o seu regresso com saudade. Desejo-lhe os ma...
Parabéns pelo seu blog, muito interessante. Estou ...

subscrever feeds

TraduzirOBlog

Google-Translate-Chinese (Simplified) BETA Google-Translate-English to French Google-Translate-English to German Google-Translate-English to Italian Google-Translate-English to Japanese BETA Google-Translate-English to Korean BETA Google-Translate-English to Russian BETA Google-Translate-English to Spanish
Google Translation

OsQuatroElementos


glitter-graphics.com PorqueAVerdadeNãoSurge AHumanidadeChoraPeloSangueDerradoDosInocentes