Domingo, 4 de Outubro de 2009

Palavra

 

ad)

 

 

Senhora, que encerras em ti todos os mistérios da vida e da morte, por tudo isto e muito mais de que isto, pelejaram e pelejam, feroz e constantemente, uns contra os outros, desconhecendo o teu Poder maior que o mundo. Maior do que o próprio Universo. Estão sempre a dar-te novas formas. A interpretar-te de acordo consigo mesmos, porque se julgam a si próprios, detentores da Criação. Eleitos por um qualquer poder. E, desconhecem completamente, ser um universo, dentro do teu próprio Universo. Que fazem parte de um Todo, completamente interligado, até a que tudo se consuma. Assim... o fim, não chegará nunca. Talvez seja por isso, que a Criação é constante e eterna. Imortal. Ninguém quer abandonar o que cria ou criou. E, aí está ela, a infinita Criação. Enquanto existires, Senhora Suprema, dentro de cada um, todos existirão junto com o tudo que criam e criarão. Contigo, darão novas formas ao mundo e transformarão ininterruptamente o Homem, em... depende de como de Ti tiverem entendimento. Aguardemos, para ver o que irão fazer do Poder que lhes foi dado no Início de Todos os Inícios. Aguardemos. Mas, Senhora Suprema, o meu ente, perde a Esperança diariamente, de que eles algum dia, possam de verdade, atingir o teu Conhecimento.

 

Por enquanto... Armas de fogo vivo, criadas pelo teu Poder. Armas emocionais. Armas físicas. Que combatem constantemente, o Amor e o Ódio e pelo Amor e o Ódio. Do mais ínfimo ao maior pormenor, estás sempre presente. No pequeno e no grande, lá estás Tu. Solta. Com a liberdade que Te é em tudo característica. E, sem pudor., usando-te sem consciência, ignorando-te completamente, enfeitando-te, como peça de luxo inútil e fútil, exibem-te p'ra olhos verem. Recolhem louros como se fossem taças, troféus da sua especialidade incomparável, nas suas Paixões privadas sobre os seus pequenos entendimentos, sobre tudo. Misturam-te, com outras palavras já existentes, de um outro qualquer. Fazem diversões e exercícios mentais, reafirmando, muitas vezes a mais perigosa e impura eficácia que vem de ti. Entras em competição, completamente alheia a ti e ficas sentada a tentar, tu, também, traduzir a Tua própria Palavra e quase não a reconheces de tanto enfeite que lhe puseram. De tanto significado que lhe atribuíram . Tanta roupa bela, tanta jóia. Tanta coisa bonita que te obriga a tentar desencalhar-te de roupagens tão preciosas para desnudares aquilo que é teu e poderes ver a Alma da tua própria Palavra. A tua alma. Pelo teu imenso Poder, os homens ainda não sabem utilizar-te ou compreender-te. Julgam-se teus criadores, quando na verdade, és tu que os vais criando, alimentando ou exterminando, consoante, eles mesmo determinam, aquando da Tua utilização. Na paixão do amor e do ódio, tu és o Tudo Nada e o Nada Tudo, que dormita dentro de cada um. Quase não tens descanso, enquanto o ente dorme, no fundo de si mesmo!


Eu, pequena paladina da Palavra Sagrada. Da grande Palavra que engloba todas as palavras e em todas as línguas - até nisto não te distingues no poder imenso de que és criada -, sou insuficiente, para te defender. Ainda não sei em plenitude, transformar a minha própria alma, em palavras dignas de ti mesma. E, também por essa mesma insuficiência, não atinjo o coração do Homem, chamando-o a a conhecer-te. Para que desse modo, ele soubesse do que és capaz e usar-te convenientemente. Mas, na tua Infinita Sabedoria, tu sabes, porque sou eu tão deficiente a defender-te. Se calhar... porque ao Homem continua a não poder ser dado todo o conhecimento. Todo o poder. Isto mesmo porque ele já demonstrou claramente, como usaria esta tua sabedoria. Mas é justo Senhora, um punhado de meros mortais, ter acesso à tua sabedoria e mesmo assim, utilizá-la para a péssima governação do mundo?! Com uma só palavra Tua, eles podem criar mundos. Transformá-los. Dirigi-los. Enfim, eles podem tudo, embrenhados no Teu poder imenso. E, eu, temo o teu imenso Poder, num mundo que não está preparado para te receber. Se tivesse que existir uma deusa, tu serias a escolhida entre todas elas. Porque, continuas a ser Tu, que dás a voz aos deuses. Talvez, por isso, eles se coíbam hoje, de usar-te despudoradamente, como fazem os humanos, porque Te conhecem e sabem do teu Poder. Da espada de todos os gumes de que és constituída. E, benditos sejam os deuses, por estarem a respeitar no silêncio, o teu uso. Mas, um dia... eles conseguirão manter por muito mais tempo, a sua promessa?!


Ah, Senhora minha, se os deuses não sabem o que fazer com a tua Plenitude, muito menos eu, guardiã carinhosa da tua dor oculta. Luto para te manter dormente dentro de mim. Não desperto o teu Poder. A Tua fúria. Porque sei do que és capaz. Sei do teu Poder de transformação. Todo o toque dos mundos, da vida e da morte, é Criação Tua. E, ainda, quando os homens te usam... penso, defender-te. Mas sei que não precisas da minha protecção. Nem que te defenda. Porque és Tu que incluis a eterna sabedoria dos Tempos. Mas, eu amo-te!... e, suavemente, deixo que te soltes, levando-te através de mim. Deixo que te expandas, sempre, receosa, do efeito das minhas próprias palavras, que afinal, são tuas. Darei eu, bom uso, à tua sabedoria?! Temo. Temo, não o dar na perfeição. Sinto-o! E, receio, por mais boas intenções que a minha alma tenha, estar a contribuir para mais um engano, mais uma mentira, mais uma nova criação, desnecessária. Peço-te perdão, por eventualmente, ser sem querer, o perigo que vem de ti. Do teu imenso Poder e pureza. Pureza que cega o mundo, feiticeira divina. Sei que me amas por nunca te trair. Sei que sou parte de ti, guardiã sem armas. Mas, temo não saber o que estou a fazer. Como se, não fosse eu a decidir, sobre coisa nenhuma. Tudo se tem vindo a transformar. E, o impensável, mas previsto por Vós, se transformou, inexplicavelmente, em realidade, como prometestes um dia... mas... sinto-me pequena e impreparada, para tudo isto. Palavra amada, o mundo da Tua criação, faz-me recuar muitas vezes, querer pegar-te e levar-te para um outro lugar, escondido, guardar-te como antes, onde ninguém possa fazer de ti uso de seus devaneios e ânsias. Usar-te. Ajuda-me amada eterna. Não deixes cair em tentação a verdade e a mentira. O Tudo e o Nada. O Amor e o Ódio. A Criação e Traição.

Daqui, deste lugar que não escolhi, sou uma das tuas letras e brilho sozinha no negro da noite escondida à espera das tuas outras letras, para fazer todo o teu alfabeto, mas, fosse eu todas as letras de que és composta e guardava-te para sempre em mim. Tirava a Palavra dada ao Homem um dia no tempo ido que se perde nas brumas impenetráveis do tempo e recolher-te-ia para não sofreres mais com o Poder de ti própria .

Criança inocente que não pensa que não sente que não ama ou odeia apenas sente a Palavra...

ESTA.jpg

 

amor, amor sol, contos, essência, estado, eternidade, eu, filosofia, letras, natureza, palavra, pensamento, pensamentos, pessoal, porto, portugal, presente, tristeza, verdade

publicado por lazulli às 23:32
Terça-feira, 15 de Abril de 2008
SintoMe: renascida

EscritoPorLazulli lazulli às 00:16
link do post | comentar | AdicionarAosIntemporais

UmaEstranhaNumaTerraEstranha


lazulli

sempretriste

. 6 seguidores

VerNaCasaDeCristal

 

Intemporais

... cega ...

Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


SonsDaMinhaAlma

SonsDaMinhaAlma

Setembro 2017

Janeiro 2017

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Abril 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Junho 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Janeiro 2012

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

EscritosRecentes

cristal

Quando a Natureza fala ma...

,,, bicéfala,,, a Serpent...

em luta pela liberdade

São lágrimas, senhor, são...

alma

A Promessa

... desisti

manto negro

... vivo em Tiamat?!

... do livro de Dzyan...

Ming's

O Universo em mim

Tentação

Quem Criou Deus...

LeioEstes

AsMinhasFotos/Imagens

DireitosDeAutor

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. OsEscritosDesteBlogEstãoRegistadosNoIGAC Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. DireitosDeAutor É expressamente interdita a reprodução parcial ou integral de todos os escritos deste blog por qualquer processo, incluindo a fotocópia e a tradução e transmissão em formato digital. Exceptua-se a reprodução de pequenos excertos para efeitos de recensão crítica ou devidamente autorizada por escrito pela AUTORA do Blog CasaDeCristal, lazulli. Peço desculpa aos que me lêem por ter que ser assim e obrigada. lazulli - (inp) M.D.L.M.D.F.D.C.B.

NoPlaneta

Flag Counter 34 561

ÚltimasMemórias

Bem Vindo à CasaDeCristal, paulo joséConsegues exp...
paulo jose juliopra ke brincar com santo nome de d...
Vasconcelos.... como esqueceria eu, o seu blog, on...
Saúdo o seu regresso com saudade. Desejo-lhe os ma...
Parabéns pelo seu blog, muito interessante. Estou ...

subscrever feeds

TraduzirOBlog

Google-Translate-Chinese (Simplified) BETA Google-Translate-English to French Google-Translate-English to German Google-Translate-English to Italian Google-Translate-English to Japanese BETA Google-Translate-English to Korean BETA Google-Translate-English to Russian BETA Google-Translate-English to Spanish
Google Translation

OsQuatroElementos


glitter-graphics.com PorqueAVerdadeNãoSurge AHumanidadeChoraPeloSangueDerradoDosInocentes